Ratinho Junior garante R$ 8 milhões para construção do Colégio Militar em Cascavel

O deputado Ratinho Junior (PSD) apresentou, nesta quinta-feira, 9, uma emenda de R$ 8 milhões ao orçamento do Estado para 2018, para construção do Colégio Militar no Centro Nacional de Treinamento de Atletismo, em Cascavel. "São recursos que vão garantir a implantação do Colégio Militar e, desde já, conto com o apoio dos deputados para que a emenda seja incluída no orçamento, carimbando o dinheiro para a execução das obras", disse Ratinho Junior. Conforme estudo dos arquitetos Thiago Assad, Helio Marzalek Junior e Loren Fabro - apresentado por Ratinho Junior -, o colégio vai atender 1,5 mil estudantes até 2020, terá 25 mil metros quadrados em dois blocos com 16 salas de aula, além de salas administrativas, sala de professores e um ginásio de esporte. Em fase final de construção, o Centro de Atletismo tem uma área de 87 mil metros quadrados, dos quais 8 mil metros quadrados já estão ocupados. "Colégios militares que têm excelência na educação, podem ser implantados nas grandes cidades ou nas Regiões Metropolitanas das grandes cidades do Paraná. A referência que temos é do Colégio da Polícia Militar de Curitiba", disse Ratinho Junior. Segundo estudo apresentado por Ratinho Junior, a estrutura do novo colégio pode abrigar bloco multiuso para laboratórios de pesquisas e salas de estudo. O espaço pode ter uma grande praça, estacionamento, refeitório, calçamento e uma estrutura de aço em um desenho irregular que poderá ser ocupado por laboratórios e salas. Os blocos de ensino, de três pavimentos, são distribuídos em térreo com administração, salas de apoio e professores, dois pavimentos de salas de aula e o último reservado à biblioteca e salas de estudo. A edificação valoriza a iluminação e ventilação natural, poderá contar com reuso de água da chuva e uma grande cobertura para painéis solares. O ginásio pode ser construído em estrutura pré-moldada, aço e vidro, e vai contar com quadra poliesportiva, arquibancada e banheiros.

Ratinho Junior fala sobre possível candidatura para disputar o Governo do Estado em 2018

O cenário político no Paraná ainda é incerto para as eleições de 2018. Mas alguns possíveis candidatos começam a surgir na disputa pelo Palácio Iguaçu. Um deles é o deputado estadual Ratinho Junior, do PSD. Em 2014 ele foi o deputado mais votado da história da Alep, com mais de 300 mil votos. Foi ainda Secretário de Estado do Desenvolvimento Urbano na atual gestão. Em 2012, disputou a prefeitura de Curitiba, mas foi derrotado no segundo turno por Gustavo Fruet, do PDT. Ratinho Junior fez uma avaliação do governo de Beto Richa. Para o deputado, o Governo pagou um preço alto para equilibrar as finanças, mas o ajuste fiscal proposto pela equipe de Beto Richa salvou o Paraná da falência. Segundo o deputado, o governador tem enfrentado desgaste político, um reflexo natural causado pelo tempo em que está no poder. Ao falar sobre a alternância de poder no Palácio Iguaçu, Ratinho Junior disse que nunca foi uma sublegenda ou sombra política, e que tem um projeto independente. Ratinho Junior fez um prognóstico sobre as eleições em âmbito nacional. Falou sobre as possíveis candidaturas de Jair Bolsonaro, do ex-presidente Lula, Ciro Gomes, João Dória, e que o PSDB deve lançar o governador de São Paulo Geraldo Alckmin para disputar o Palácio do Planalto. Para Ratinho Junior, o país passa por uma radicalização envolvendo ideologias políticas. Repórter Fábio Buchmann Fonte: CBN Curitiba - https://goo.gl/i49URg

Compliance ganha força na gestão pública

O Compliance - conjunto de regras e condutas éticas na administração - ganha mais força na gestão pública e foi o principal tema da palestra do juiz Sérgio Moro no congresso realizado pela Federação das Santas Casas de Misericórdia e Hospitais Beneficentes do Estado do Paraná (FEMIPA), na última semana, em Curitiba. "Não adianta ter código de ética, sistema de Compliance, se não tem um comprometimento da direção e de quem efetivamente manda. Já diz o velho ditado que o peixe apodrece a partir da cabeça e de fato é isso", disse Moro na palestra. O presidente da FEMIPA, Flaviano Ventorim, disse que o sistema pode otimizar e racionalizar o uso dos recursos públicos, para que se reverta à sociedade um melhor atendimento nos serviços da saúde pública. "Há uma gama de ações que podem ser feitas: compra de equipamentos, melhorias na estrutura física, despesas de custeio, contratação de pessoal. Esse é o objetivo: melhorar a utilização dos recursos públicos", disse Ventorim. O Paraná será o primeiro estado a ter um programa como este na gestão pública. O projeto é do deputado Ratinho Junior (PSD) e prevê padrões de conduta, monitoramento de políticas públicas e práticas administrativas em cada órgão e entidade, entre os servidores, e nos diferentes serviços da administração pública. "É um projeto que trouxemos da iniciativa privada, das grandes empresas. Países do primeiro mundo já implantaram esse sistema há muito tempo. E a ideia é implantar no Paraná e fazer do Estado o pioneiro na prevenção da corrupção. Temos hoje muitas ferramentas de punição depois que acontece a corrupção no órgão público. A ideia é combater a corrupção com prevenção, evitando com que haja a irregularidade", disse Ratinho Junior.

Artigo: Copel e Sanepar, compromisso com a eficiência

O Paraná tem se consolidado como uma das unidades mais fortes da Federação e um dos poucos estados que reagiu rapidamente à crise instalada no país. Graças à força da sua produção, em todos os setores, da agricultura à indústria, e ao trabalho dos paranaenses, deu respostas positivas e vem conseguindo se destacar como potência econômica, gerando emprego e renda e qualificando as ações de inclusão social.
Neste cenário, duas forças importantes têm sido fundamentais, associando o equilíbrio da gestão pública às garantias fundamentais para o bem-estar da população. Ao mesmo tempo, funcionam como verdadeiros motores que impulsionam os investimentos no nosso estado. Essas duas forças têm uma relação direta e cotidiana com todos os paranaenses: falo da Sanepar e da Copel.

A Copel e a Sanepar devem continuar sendo dos paranaenses

As duas têm uma trajetória de sucesso. Em seus 63 anos de atividade, a Copel é um modelo de governança e eficiência, reconhecida pela competência de seus funcionários, que conseguem mantê-la em desenvolvimento contínuo. Nos últimos sete anos, a Associação Brasileira das Distribuidoras de Energia Elétrica elegeu seis vezes a Copel como a melhor distribuidora de energia do Brasil. Maior empresa do Paraná, a Copel investiu R$ 3,57 billhões em 2016, o maior valor da sua história, e garantiu novos investimentos no total de R$ 2 bilhões para este ano. Dinheiro que movimenta e reforça a economia do Paraná, além de garantir mais qualidade de vida para os paranaenses.
Nesta mesma linha, a Sanepar, que existe há 54 anos, é a estatal paranaense mais bem colocada entre as 150 empresas mais inovadoras do Brasil. Foi a única representante do setor de saneamento básico no Prêmio Valor Inovação Brasil 2017, ranking elaborado pelo jornal Valor Econômico em parceria com a consultoria PwC. E esta condição foi conquistada com muita eficiência. Atualmente, a Sanepar está desenvolvendo cerca de 100 projetos que buscam soluções tecnológicas sustentáveis e inovadoras para os principais processos da empresa. Os paranaenses sentem de forma imediata o resultado dessa eficiência: 100% dos moradores das áreas urbanas têm acesso à água tratada e 70% já têm o sistema de coleta de esgoto instalado na porta de sua casa.
Mesmo com todos esses resultados positivos, de tempos em tempos surge a polêmica discussão sobre a privatização da Copel e da Sanepar. Dias atrás, perguntaram minha opinião. A resposta para essa pergunta passa necessariamente pelo reconhecimento da excelência das duas empresas. Penso que devemos continuar trabalhando para ampliar a eficiência da Copel e da Sanepar em sinergia com uma sociedade em constante evolução. Penso que a Copel e a Sanepar devem continuar sendo dos paranaenses. Este deve ser o compromisso.
Leia o artigo também publicado na Gazeta do Povo : https://goo.gl/upXW8S

Na STN, Paraná lidera repasse de recursos e investimentos nos municípios

​Os municípios do Paraná são maioria no ranking de financiamentos do Brasil em 2017, segundo a Secretaria do Tesouro Nacional (STN). De acordo com a STN, de 125 operações autorizadas neste ano, 44 atenderam municípios paranaenses – 35,2% do total. As operações de crédito somam R$ 111,6 milhões e representam uma oportunidade de executar obras e investimentos em meio à crise econômica que assola o país.
A integração entre a Fomento Paraná e Secretaria Estadual de Desenvolvimento Urbano (Sedu) e o alinhamento com a política estadual de desenvolvimento favorecem os municípios paranaenses. A Sedu, coordenada por Ratinho Junior, tem o papel de condutora da política pública e o Paranacidade atua como agente técnico operacional. Graças a este trabalho integrado, o Paraná tem se destacado no cenário nacional. Líder no ranking nacional neste ano, o Paraná já havia conquistado a liberação de recursos da STN para 212 municípios em 2016.
O total de investimentos repassados neste ano até agora aos municípios paranaenses (R$ 111,6 milhões) só não é mais positivo porque muitos estão com situação fiscal comprometido pela queda na arrecadação e de transferências constitucionais, o que impende o ajuste das suas contas.

Investimentos

Ratinho Junior destaca o trabalho técnico e o planejamento bem conduzido como elementos que tem garantido o suporte necessário aos municípios paranaenses. “A Secretaria de Desenvolvimento Urbano executa com competência o papel de condutora da política pública que induz o desenvolvimento”, diz.
Por meio de escritórios descentralizados, a Sedu e o Paranacidade apoiam as prefeituras na elaboração de projetos, especificações técnicas e editais de licitação. O trabalho, além de garantir os recursos aos municípios paranaenses, tem se destacado no cenário nacional e atraído a atenção de outros estados que buscam orientação com o secretário Carlos Massa Ratinho Junior.
Recentemente, técnicos do governo de Santa Catarina e da agência do BRDE catarinense buscaram com Ratinho Junior, proposta de convênio entre os dois estados para usar o modelo e a expertise da Sedu do Paranacidade, já é conhecidos em Santa Catarina e difundidos em diversos encontros de gestão pública pelo Brasil.
Para Ratinho Junior este conhecimento técnico tem auxiliado os municípios paranaenses a implantar os seus projetos, com rapidez e eficiência. “A equipe está de parabéns pela condução desse processo. É um orgulho para o Paraná este destaque e, para mim, é um privilégio liderar um trabalho que tem ajudado tantos municípios”. Acompanhe mais nas redes sociais : https://www.facebook.com/ratinhojunior/posts/1700865946592867

Ratinho Junior entrega mais um “Meu Campinho” em São João do Ivaí

O secretário do Desenvolvimento Urbano, Ratinho Junior, inaugurou nesta sexta-feira, 18, mais um espaço do programa Meu Campinho, em São João do Ivaí, município situado na região do norte-central do Paraná. “Mais uma quadra de esportes inaugurada pra criançada. Inovação é promover inclusão social com modelos de primeiro mundo”, disse.
 
Para a implantação do programa em São João do Ivaí, o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Urbano, investiu R$ 349.076, 89 mil. O prazo de execução das obras foi de 120 dias e a área instalada alcança uma extensão de 1937,00 metros quadrados. “O Projeto Meu Campinho é uma experiência bem sucedida, que fomos buscar na Alemanha e que já começa a virar referência no Paraná”, destacou Ratinho Junior.

 Campinho

O projeto contempla campo de futebol com grama sintética, academia para a terceira idade, parque com equipamentos de brinquedos para as crianças, instalações elétricas e  sanitárias, e urbanismo. “Pioneiro no Brasil, o projeto social e esportivo Meu Campinho abre espaços nas cidades para crianças e adolescentes praticarem esportes em horários de contra turno escolar”, completou Ratinho Junior.
Acompanhe mais no Facebook : https://goo.gl/yMYFB4

Estamos construindo uma nova política para as cidades sustentáveis

Em Foz do Iguaçu, o secretário do Desenvolvimento Urbano, Ratinho Junior, destacou nesta quinta-feira, 17, na 6ª Conferência Estadual das Cidades, os avanços dos programas de desenvolvimento urbano e os projetos de mobilidade implantados no Paraná. “Junto estamos construindo uma nova política de desenvolvimento urbano e regional no Paraná, para o fortalecimento de cidades inclusivas, com função social, participativas, justas, inteligentes que possam ser a moradia de pessoas com melhor qualidade de vida”, disse.
Ratinho destacou, entre as ações, o novo sistema de obras urbanas no Paraná que monitora o avanço das obras após a liberação do financiamento para cada município. “É uma entre tantas medidas importantes para fiscalizar as obras e assegurar o objetivo social nos municípios do nosso Estado”, disse.O projeto Calçadas Paraná também foi citado por Ratinho Junior na conferência. “São 5,8 milhões de metros quadrados de passagens para pedestres, construídos nos últimos seis anos. São mais de R$ 500 milhões em obras feitas com recursos do tesouro estadual ou financiadas pelo Estado”, disse.Neste período, Ratinho Junior destacou que os municípios avançaram em conforto e segurança para as pessoas. “São quase 3 mil quilômetros lineares, o que equivale a distância entre Curitiba e Maceió, capital do Alagoas, no nordeste do Brasil”. Disse ainda que os 399 municípios foram atendidos com o projeto  “que garante mais mobilidade, principalmente, às pessoas com deficiência, idosos, gestantes e mamães com carrinho de bebê”.

Objetivos da ONU

Outro avanço diagnosticado pelo secretário remete à parceria firmada, em julho, pelo Paraná com a ONU. Ratinho Junior afirmou aos delegados da conferência que assinou a adesão do Paranacidade aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030 da ONU. Já aderiram à agenda, 193 países que participaram da cúpula das Nações Unidas sobre desenvolvimento sustentável, realizada em setembro de 2015.
"O Paraná assumiu o compromisso de buscar efetivar os 17 objetivos, os princípios e as metas para chegar ao desenvolvimento sustentável e para atender as necessidades da atual e das futuras gerações. Vamos deixar as nossas digitais na construção deste sonho”, disse Ratinho Junior. “A partir de agora, vamos ser parceiros no alcance dessas metas”, completou.
Os 17 objetivos incluem a luta para erradicar a pobreza, fome zero, agricultura sustentável, saúde e bem-estar, educação de qualidade, igualdade de gênero, água e saneamento, energia limpa, trabalho decente e crescimento econômico, indústria, inovação e infraestrutura, redução da desigualdade, cidades e comunidades sustentáveis, consumo e produção responsáveis, ação contra a mudança global do clima, paz, justiça e instituições eficazes, parcerias e meios de implementação.

Apoio é parte de projeto para 2018

O candidato a Prefeito de Curitiba pelo PSD, Deputado Estadual Ney Leprevost, recebeu um importante apoio à sua candidatura no dia 25 de agosto, quinta-feira. O colega de partido e Secretário de Estado do Desenvolvimento Urbano, Ratinho Junior, compareceu à reunião da coligação “Corrente do Bem” (PSC / PSD / PEN / PTC / PPL / PC do B / PSL) para expressar seu apoio. Na oportunidade, o Secretário Ratinho Junior ressaltou que apoia a candidatura de Ney Leprevost para prefeito da capital paranaense por conhecer sua competência como legislador, bem como o preparo como gestor público. “O Ney, como eu, é da nova safra de políticos do Paraná. Ainda muito jovem tornou-se Secretário de Estado do Esporte e Turismo. É um grande administrador e autor de vários Projetos de Lei importantes, como a Lei da Ficha Limpa/PR, por exemplo. Além disso, Ney leprevost conhece Curitiba profundamente”, argumentou. Dívida bilionária Ratinho Junior criticou a estagnação em que se encontra a gestão pública em Curitiba. “Há quatro anos, quando me candidatei a prefeito de Curitiba, a gestão já se encontrava numa situação ruim, com uma dívida de R$ 400 milhões. O quadro só tem piorado. A dívida já chega a R$ 1 bilhão e 200 mil. Desde então, a cidade perdeu dinheiro para o Metrô, sendo R$ 1 bilhão e 600 mil. Perdeu R$ 70 milhões para o Hospital da Zona Norte, um projeto que já estava liberado pelo Ministério da Saúde há três anos e meio. A Linha Verde, que com o Luciano Ducci estava 70% concluída, não foi finalizada na administração do Gustavo Fruet, sequer teve continuidade em suas obras. A cidade, enfim, parou, estagnou, com uma gestão que não tem apresentado avanços. O Brasil quebrou por ineficiência de gestão, com a Dilma. Não queremos isso para Curitiba. A cidade precisa de gente com capacidade de gestão e o Ney tem essa capacidade”, destacou Ratinho Junior. Candidatura para governador Segundo Ratinho Junior, o apoio a Ney Leprevost para prefeito da capital do Paraná é fundamental para 2018, quando pretende lançar candidatura ao Governo do Estado. “Gostaria de contar com o trabalho do Ney em Curitiba. Este é o início de um projeto com vistas a 2018”, revelou. Juntos no PSD O candidato a Prefeito de Curitiba pelo PSD, Ney Leprevost, se mostrou orgulhoso por receber apoio do Secretário Ratinho Junior. “Há quatro anos era para eu ter saído candidato a vice-prefeito na chapa do Ratinho. Mas não deu certo em razão de outros compromissos da coligação. Mas agora estamos juntos no PSD, partido fundado pelo Gilberto Kassab – atual Ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações – e liderado no Paraná pelo Eduardo Sciarra, que foi buscar o Ratinho Junior para somar com o grupo. A ideia é preparar a candidatura dele a Governador para 2018. O Ratinho está sempre se capacitando, é uma pessoa que viaja muito, não para fazer turismo, mas para estudar, conhecer e trazer novas ideias para o Paraná. Tenho 42 anos e o Ratinho 35 anos, somos dessa nova safra da política paranaense que quer fazer política com vergonha na cara. Conheço a família dele, desde os tempos em que trabalhei na CNT com o apresentador Ratinho(pai), em programa de televisão”, lembrou Ney. Médico na chapa Sobre o vice, o oftalmologista Dr. João Guilherme Moares (PSC), Ney pontuou que a escolha de um médico foi uma decisão de caráter técnico, por se tratar de profissional da área de saúde. “A escolha do meu vice é providencial em razão da grande demanda por investimentos na área da saúde em Curitiba. O Dr. João Guilherme, além de trabalhar em seu consultório, conhece bem e trabalha pelo SUS na Santa Casa. Ou seja, tem conhecimento de causa. E Curitiba tem na área de saúde um de seus maiores desafios. Não podemos mais admitir que continuem morrendo pessoas nas filas dos postos, como aconteceu mais uma vez na semana passada, em uma Unidade de Saúde no Fazendinha”, lembrou. Gestão eficiente Entre as principais propostas para Curitiba, Ney Leprevost destacou em entrevista exclusiva ao Diretor do jornal A Gazeta Região Metropolitana, João Aloysio Ramos, o enxugamento da máquina administrativa como uma prioridade. “Curitiba precisa de eficiência na gestão. Vamos cortar gastos, cargos em comissão e algumas secretarias. O quadro de servidores concursados conta com gente competente que quer trabalhar, mas que é engessada por decisões das chefias nomeadas pela gestão atual”, argumentou. Indústria do antipó e das multas Para Ney, a indústria do antipó e das multas é outro problema. “É preciso usar asfalto de qualidade, não esse antipó, essa camada fina de asfalto que só beneficia empreiteiros, e seis meses depois precisa de reparos. A indústria da multa, então, já é famosa, não apenas a do trânsito. Mas a atual gestão tem se empenhado em multar empresários, comerciantes, proprietários de bares, restaurantes, prestadores de serviço, apenas para arrecadar. Postura de quem não sabe gerir os recursos que tem. O empresário tem de ser visto como um parceiro, não como um inimigo a quem só serve para pagar impostos e multas ao erário”, acrescentou. Reintegração da RIT e VLT Outras medidas defendidas por Leprevost são a reintegração da Rede Integrada de Transporte-RIT com tarifa mais justa; implantação do Sistema de Transporte VLT; criação do PAI-Programa de Atendimento Infantil; agendamento eletrônico de consultas pelo SUS; investimentos em calçadas, com o realinhamento das mesmas; a criação de uma Unidade de Combate ao Crack e a transformação da Secretaria de Defesa Social em Secretaria de Segurança do Cidadão; além de uma Central de Monitoramento por Câmeras, em parceria com moradores e empresários, além da contratação de mais guardas municipais, ampliando o efetivo, que tem atualmente apenas 1.300 guardas.