Paraná tem em investimentos, R$ 1,7 bilhão em obras urbanas, destaca Ratinho Junior

Entre março de 2013 e agosto de 2017, as obras urbanas no Paraná somaram R$ 1,7 bilhão de investimentos a atenderam 392 cidades do Estado. O balanço é do secretário Ratinho Junior sobre as 3,2 mil obras realizadas por sua pasta, a Secretaria de Desenvolvimento Urbano. “São obras que significam qualidade de vida para os paranaenses porque se traduzem em mais desenvolvimento e bem estar social às cidades atendidas”, disse Ratinho Junior.
Segundo Ratinho, os recursos foram destinados para a pavimentação e recape de ruas e avenidas, urbanização de praças e parques, construções de creches, escolas, terminais de transporte, quadras de esporte, hospitais, postos de saúde, implantação de aterros sanitários, execução de plano diretor, iluminação pública, calçamento e outras edificações. Parte deste dinheiro foi usado ainda na compra de maquinário e equipamentos para as prefeituras paranaenses.“O mais interessante é que além de atender as grandes cidades, os projetos e programas levados pela Sedu voltaram-se aos pequenos e médios municípios porque são os que mais precisam do apoio do Estado.
Desse conjunto de obras e ações, a maior parte atendeu os pequenos municípios, o que descentraliza as ações de governo e contribui para trazer o desenvolvimento econômico e social para todo o Estado”, completou Ratinho Junior.

Investimentos 

Para quantificar as 2.424 ações levadas pela Sedu, somente em pavimentação (asfalto e recape), os investimentos somaram, R$ 1,14 bilhão entre 2013 e 2017. Ao todo, foram pavimentados 17,4 bilhões de metros quadrados de vias – 2,1 mil de quilômetros de ruas e avenidas. “São investimentos consistentes que representam uma nova fase de desenvolvimento e dotam as cidades de uma melhor mobilidade urbana”, disse Ratinho Junior.
Neste período, a Sedu também aplicou mais de R$ 205 milhões em edificações por todo o Paraná. Os investimentos contemplaram a construção de barracões industriais, centros de referência, unidades de saúde, creches, ginásio de esportes, quadras esportivas – inseridas no projeto Meu Campinho -, terminais de transporte, centros da juventude, escolas, hospitais, reforma e ampliação de órgãos públicos, entre outras obras. No total, foram construídos, reformados ou ampliados 269 edifícios e o volume de edificações representa 282,6 milhões de metros quadrados executados.
“As obras dotam os municípios de uma infraestrutura mais adequada, o que atende desde o setor produtivo até os moradores dos bairros que passam a ter uma qualidade de vida melhor com o asfalto na frente da casa, creches e escolas para os filhos”, disse Ratinho Junior.

Aquisições 

No período entre 2013 e 2017, houve ainda, destaca Ratinho Junior, a compra de 97 terrenos para a construção de diferentes empreendimentos nos municípios. Foram investidos R$ 58, 2 milhões na compra de 2,5 milhões de metros quadrados. “Todas as ações e investimentos foram feitos com muito planejamento, austeridade e com foco nas necessidades e demandas das prefeituras”, disse Ratinho Junior. Nos destaques no período, os projetos Calçadas do Paraná que recebeu R$ 8,5 milhões em investimentos traduzidos na execução de 50 quilômetros de calçadas, a implantação de aterro sanitário (R$ 1,1 milhão), planos diretores (R$ 359,2 mil), seis parques (R$ 3,3 milhões) e 61 praças (R$ 27,8 milhões). No pacote de investimentos da Sedu, foram contabilizados a compra de 263 veículos ao custo de R$ 36, 2 milhões e 726 unidades de equipamentos rodoviários, totalizando investimento de R$ 196,9 milhões. A Sedu investiu ainda R$ 462,2 mil para a compra de 33 unidades de veículos agrícolas. A soma geral dos investimentos para a aquisição de veículos e equipamentos alcançou R$ 233, 6 milhões.
“Todas estas ações desenvolvidas pela Secretaria de Desenvolvimento Urbano são resultados de um diálogo permanente com os prefeitos e prefeitas paranaenses. Temos trabalhado afinados num projeto maior para o progresso do Paraná”, completou Ratinho Junior.

Brasil precisa de novas lideranças, diz Carlos Massa Ratinho Junior   

Neste sábado, 29, em Medianeira, o secretário de Desenvolvimento Urbano do Paraná, Carlos Massa Ratinho Junior, disse que o Brasil precisa de novas lideranças. “É fundamental para o fortalecimento do nosso grupo no Paraná e no Brasil, formado por quadros qualificados e que representam a nova política”, disse Ratinho Junior na série de encontros regionais do PSD.

Novas Lideranças

Ratinho Junior participou do encontro regional do PSD no oeste com a presença de 350 pessoas e as principais lideranças do partido no estado e no país. Encontros regionais

Apoio é parte de projeto para 2018

O candidato a Prefeito de Curitiba pelo PSD, Deputado Estadual Ney Leprevost, recebeu um importante apoio à sua candidatura no dia 25 de agosto, quinta-feira. O colega de partido e Secretário de Estado do Desenvolvimento Urbano, Ratinho Junior, compareceu à reunião da coligação “Corrente do Bem” (PSC / PSD / PEN / PTC / PPL / PC do B / PSL) para expressar seu apoio. Na oportunidade, o Secretário Ratinho Junior ressaltou que apoia a candidatura de Ney Leprevost para prefeito da capital paranaense por conhecer sua competência como legislador, bem como o preparo como gestor público. “O Ney, como eu, é da nova safra de políticos do Paraná. Ainda muito jovem tornou-se Secretário de Estado do Esporte e Turismo. É um grande administrador e autor de vários Projetos de Lei importantes, como a Lei da Ficha Limpa/PR, por exemplo. Além disso, Ney leprevost conhece Curitiba profundamente”, argumentou. Dívida bilionária Ratinho Junior criticou a estagnação em que se encontra a gestão pública em Curitiba. “Há quatro anos, quando me candidatei a prefeito de Curitiba, a gestão já se encontrava numa situação ruim, com uma dívida de R$ 400 milhões. O quadro só tem piorado. A dívida já chega a R$ 1 bilhão e 200 mil. Desde então, a cidade perdeu dinheiro para o Metrô, sendo R$ 1 bilhão e 600 mil. Perdeu R$ 70 milhões para o Hospital da Zona Norte, um projeto que já estava liberado pelo Ministério da Saúde há três anos e meio. A Linha Verde, que com o Luciano Ducci estava 70% concluída, não foi finalizada na administração do Gustavo Fruet, sequer teve continuidade em suas obras. A cidade, enfim, parou, estagnou, com uma gestão que não tem apresentado avanços. O Brasil quebrou por ineficiência de gestão, com a Dilma. Não queremos isso para Curitiba. A cidade precisa de gente com capacidade de gestão e o Ney tem essa capacidade”, destacou Ratinho Junior. Candidatura para governador Segundo Ratinho Junior, o apoio a Ney Leprevost para prefeito da capital do Paraná é fundamental para 2018, quando pretende lançar candidatura ao Governo do Estado. “Gostaria de contar com o trabalho do Ney em Curitiba. Este é o início de um projeto com vistas a 2018”, revelou. Juntos no PSD O candidato a Prefeito de Curitiba pelo PSD, Ney Leprevost, se mostrou orgulhoso por receber apoio do Secretário Ratinho Junior. “Há quatro anos era para eu ter saído candidato a vice-prefeito na chapa do Ratinho. Mas não deu certo em razão de outros compromissos da coligação. Mas agora estamos juntos no PSD, partido fundado pelo Gilberto Kassab – atual Ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações – e liderado no Paraná pelo Eduardo Sciarra, que foi buscar o Ratinho Junior para somar com o grupo. A ideia é preparar a candidatura dele a Governador para 2018. O Ratinho está sempre se capacitando, é uma pessoa que viaja muito, não para fazer turismo, mas para estudar, conhecer e trazer novas ideias para o Paraná. Tenho 42 anos e o Ratinho 35 anos, somos dessa nova safra da política paranaense que quer fazer política com vergonha na cara. Conheço a família dele, desde os tempos em que trabalhei na CNT com o apresentador Ratinho(pai), em programa de televisão”, lembrou Ney. Médico na chapa Sobre o vice, o oftalmologista Dr. João Guilherme Moares (PSC), Ney pontuou que a escolha de um médico foi uma decisão de caráter técnico, por se tratar de profissional da área de saúde. “A escolha do meu vice é providencial em razão da grande demanda por investimentos na área da saúde em Curitiba. O Dr. João Guilherme, além de trabalhar em seu consultório, conhece bem e trabalha pelo SUS na Santa Casa. Ou seja, tem conhecimento de causa. E Curitiba tem na área de saúde um de seus maiores desafios. Não podemos mais admitir que continuem morrendo pessoas nas filas dos postos, como aconteceu mais uma vez na semana passada, em uma Unidade de Saúde no Fazendinha”, lembrou. Gestão eficiente Entre as principais propostas para Curitiba, Ney Leprevost destacou em entrevista exclusiva ao Diretor do jornal A Gazeta Região Metropolitana, João Aloysio Ramos, o enxugamento da máquina administrativa como uma prioridade. “Curitiba precisa de eficiência na gestão. Vamos cortar gastos, cargos em comissão e algumas secretarias. O quadro de servidores concursados conta com gente competente que quer trabalhar, mas que é engessada por decisões das chefias nomeadas pela gestão atual”, argumentou. Indústria do antipó e das multas Para Ney, a indústria do antipó e das multas é outro problema. “É preciso usar asfalto de qualidade, não esse antipó, essa camada fina de asfalto que só beneficia empreiteiros, e seis meses depois precisa de reparos. A indústria da multa, então, já é famosa, não apenas a do trânsito. Mas a atual gestão tem se empenhado em multar empresários, comerciantes, proprietários de bares, restaurantes, prestadores de serviço, apenas para arrecadar. Postura de quem não sabe gerir os recursos que tem. O empresário tem de ser visto como um parceiro, não como um inimigo a quem só serve para pagar impostos e multas ao erário”, acrescentou. Reintegração da RIT e VLT Outras medidas defendidas por Leprevost são a reintegração da Rede Integrada de Transporte-RIT com tarifa mais justa; implantação do Sistema de Transporte VLT; criação do PAI-Programa de Atendimento Infantil; agendamento eletrônico de consultas pelo SUS; investimentos em calçadas, com o realinhamento das mesmas; a criação de uma Unidade de Combate ao Crack e a transformação da Secretaria de Defesa Social em Secretaria de Segurança do Cidadão; além de uma Central de Monitoramento por Câmeras, em parceria com moradores e empresários, além da contratação de mais guardas municipais, ampliando o efetivo, que tem atualmente apenas 1.300 guardas.