Assembleia aprova projeto que viabiliza programa paraná sem lixões

A Assembleia Legislativa do Paraná aprovou, em segunda discussão, nesta quarta-feira (22/11) o projeto de Lei 582/2017 que foi construído em parceria com a Secretaria do Desenvolvimento Urbano (SEDU), Sanepar e a Secretaria do Meio Ambiente(SEMA), para acabar com os lixões no Paraná.

“Esse projeto é muito importante para o meio ambiente porque traz sustentabilidade também na gestão do resíduo sólido ao estado inteiro. É um novo modelo de serviço público sustentável, mais moderno e limpo que começa a ser implantado no Paraná já no ano que vem”, afirma Ratinho Junior.

Quando era secretário do Desenvolvimento Urbano, Ratinho Junior, participou, em Portugal, da Benchmarking Internacional, uma das mais importantes feiras de resíduos sólidos. Na cidade do Porto, Ratinho Junior visitou a Central de Valorização Energética e Aterro Sanitário e em seguida, conheceu a Central de Valorização Orgânica e Unidade de Triagem Mecanizada, de Coleta Seletiva.

‘A aprovação deste projeto concretiza a parceria com Portugal e coloca em prática o modelo que defendemos para o Paraná ser o primeiro estado da União sem lixões a céu aberto. Fico muito feliz em fazer parte desta conquista”, disse Ratinho Junior.

Ratinho Jr destaca novo sistema de coleta de lixo de Israel

O deputado Ratinho Junior (PSD), em visita a Israel, conheceu um novo processo tecnológico de tratamento de resíduos sólidos urbanos. Denominada ArrowBio, a nova solução apresentada para Ratinho é capaz de minimizar, substancialmente, as emissões de gás de efeito estufa “metano” presentes em aterros e lixões nos municípios paranaenses. Ratinho conheceu o sistema em visita técnica, este mês, à TelAviv, que desenvolve o programa “Cidade Inteligente”, implementado pelo município e reconhecido em todo o planeta como referência em produção e engajamento tecnológico. Testes – O processo, explicou Ratinho Junior, foi testado nos últimos cinco anos em laboratório e testes de campo na planta semi-industrial perto da cidade de Hadera, em Israel. “Foi aprovado (o sistema), por cientistas de Israel, dos EUA e outros países, como mais eficaz e economicamente melhor do que todos os métodos existentes”, disse o deputado.
Ratinho explicou ainda que o processo ArrowBio é uma tecnologia única que consegue tratar e recuperar materiais dos resíduos, além de produzir Biogas, “que é uma energia alternativa, limpa e verde para transporte, aterros e usinas”.
Solução integrada – Disse ele ainda que o processo ArrowBio é uma solução integrada classifica, limpa e separa os materiais recuperáveis. “E através de técnicas hidromecânicas e únicas optimizadas de bio-tecnologia, produz Biogás (Metano-gás natural e CO2), fertilizante e água”. Além do impacto ambiental positivo, Ratinho Junior destacou ainda os efeitos econômicos com a implantação do sistema. Citou o caso da cidade de Nova York que gasta, hoje, US $ 350 milhões por ano, após o tratamento de coleta. “Só a renda potencial do biogás do ArrowBio, a partir dessa quantidade de MSW (resíduos sólidos municipais), é praticamente a mesma, e os rendimentos de materiais recuperados devem ser adicionados”.