Paraná tem em investimentos, R$ 1,7 bilhão em obras urbanas, destaca Ratinho Junior

Entre março de 2013 e agosto de 2017, as obras urbanas no Paraná somaram R$ 1,7 bilhão de investimentos a atenderam 392 cidades do Estado. O balanço é do secretário Ratinho Junior sobre as 3,2 mil obras realizadas por sua pasta, a Secretaria de Desenvolvimento Urbano. “São obras que significam qualidade de vida para os paranaenses porque se traduzem em mais desenvolvimento e bem estar social às cidades atendidas”, disse Ratinho Junior.
Segundo Ratinho, os recursos foram destinados para a pavimentação e recape de ruas e avenidas, urbanização de praças e parques, construções de creches, escolas, terminais de transporte, quadras de esporte, hospitais, postos de saúde, implantação de aterros sanitários, execução de plano diretor, iluminação pública, calçamento e outras edificações. Parte deste dinheiro foi usado ainda na compra de maquinário e equipamentos para as prefeituras paranaenses.“O mais interessante é que além de atender as grandes cidades, os projetos e programas levados pela Sedu voltaram-se aos pequenos e médios municípios porque são os que mais precisam do apoio do Estado.
Desse conjunto de obras e ações, a maior parte atendeu os pequenos municípios, o que descentraliza as ações de governo e contribui para trazer o desenvolvimento econômico e social para todo o Estado”, completou Ratinho Junior.

Investimentos 

Para quantificar as 2.424 ações levadas pela Sedu, somente em pavimentação (asfalto e recape), os investimentos somaram, R$ 1,14 bilhão entre 2013 e 2017. Ao todo, foram pavimentados 17,4 bilhões de metros quadrados de vias – 2,1 mil de quilômetros de ruas e avenidas. “São investimentos consistentes que representam uma nova fase de desenvolvimento e dotam as cidades de uma melhor mobilidade urbana”, disse Ratinho Junior.
Neste período, a Sedu também aplicou mais de R$ 205 milhões em edificações por todo o Paraná. Os investimentos contemplaram a construção de barracões industriais, centros de referência, unidades de saúde, creches, ginásio de esportes, quadras esportivas – inseridas no projeto Meu Campinho -, terminais de transporte, centros da juventude, escolas, hospitais, reforma e ampliação de órgãos públicos, entre outras obras. No total, foram construídos, reformados ou ampliados 269 edifícios e o volume de edificações representa 282,6 milhões de metros quadrados executados.
“As obras dotam os municípios de uma infraestrutura mais adequada, o que atende desde o setor produtivo até os moradores dos bairros que passam a ter uma qualidade de vida melhor com o asfalto na frente da casa, creches e escolas para os filhos”, disse Ratinho Junior.

Aquisições 

No período entre 2013 e 2017, houve ainda, destaca Ratinho Junior, a compra de 97 terrenos para a construção de diferentes empreendimentos nos municípios. Foram investidos R$ 58, 2 milhões na compra de 2,5 milhões de metros quadrados. “Todas as ações e investimentos foram feitos com muito planejamento, austeridade e com foco nas necessidades e demandas das prefeituras”, disse Ratinho Junior. Nos destaques no período, os projetos Calçadas do Paraná que recebeu R$ 8,5 milhões em investimentos traduzidos na execução de 50 quilômetros de calçadas, a implantação de aterro sanitário (R$ 1,1 milhão), planos diretores (R$ 359,2 mil), seis parques (R$ 3,3 milhões) e 61 praças (R$ 27,8 milhões). No pacote de investimentos da Sedu, foram contabilizados a compra de 263 veículos ao custo de R$ 36, 2 milhões e 726 unidades de equipamentos rodoviários, totalizando investimento de R$ 196,9 milhões. A Sedu investiu ainda R$ 462,2 mil para a compra de 33 unidades de veículos agrícolas. A soma geral dos investimentos para a aquisição de veículos e equipamentos alcançou R$ 233, 6 milhões.
“Todas estas ações desenvolvidas pela Secretaria de Desenvolvimento Urbano são resultados de um diálogo permanente com os prefeitos e prefeitas paranaenses. Temos trabalhado afinados num projeto maior para o progresso do Paraná”, completou Ratinho Junior.

Artigo: Novas conexões para inovar no Paraná

Dias atrás, lançamos um projeto audacioso: em parceria com o Consulado Geral de Israel, iniciamos o Smart City em três cidades paranaenses: Cascavel, Paranaguá e Pato Branco começarão a implantar, ainda em um modelo piloto, uma série de projetos conceituais de gestão e monitoramento de segurança inteligente. É uma iniciativa inovadora que fará o uso estratégico de infraestrutura e de serviços de informação e comunicação com planejamento e gestão urbana para dar respostas às necessidades sociais e econômicas das cidades e da população.
Todos precisamos fazer conexões com outras experiências, principalmente na gestão pública. Ainda mais neste século 21, tão acelerado e em que as barreiras e as diferenças são substituídas por aproximação e semelhanças. Se uma experiência social que envolve prática de esporte deu certo na Alemanha, por que não transformá-la em um programa nas nossas cidades? Foi assim que nasceu o projeto Meu Campinho, e foi assim também que realizamos o Hackathon, evento tecnológico voltado às soluções inovadoras na gestão pública e inspirado em uma experiência bem-sucedida que conheci na Coreia do Sul. Em Portugal, onde estive recentemente, os lixões a céu aberto foram eliminados e os principais rios foram recuperados e estão livres da poluição. Dois problemas que ainda persistem na nossa realidade e que podemos resolver com soluções semelhantes, adaptadas à nossa situação.

Inovação

Todo gestor público tem a obrigação de buscar esta atualização permanente. De fazer conexões com o bem-sucedido. A história da civilização é rica em casos de países e comunidades que se isolaram e que pagaram por esse isolamento impondo atraso e miséria às suas populações. Na Sedu, o nosso trabalho segue em outra direção. Vamos em busca de modelos que possam levar aos nossos 399 municípios o que há de melhor no mundo. Os paranaenses têm este direito.
A parceria, reunindo a administração dos três municípios, a comunidade israelita e a Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedu), começou em julho de 2016, quando assinamos um termo de cooperação com o Consulado Geral de Israel. Depois, fui a Tel- Aviv, a convite do governo israelense, conhecer tecnologias de ponta sobre cidades inteligentes. Fiz a viagem a convite do governo de Israel, sem nenhum custo para o governo do Paraná, porque este conhecimento do novo, do diferente, das soluções que já deram certo pode nos ajudar a transformar para melhor a nossa realidade.
Leia o artigo também publicado na Gazeta do Povo: https://goo.gl/eQR3nb

Novas conexões para inovar no Paraná – Artigo Ratinho Junior

Dias atrás, lançamos um projeto audacioso: em parceria com o Consulado Geral de Israel, iniciamos o Smart City em três cidades paranaenses: Cascavel, Paranaguá e Pato Branco começarão a implantar, ainda em um modelo piloto, uma série de projetos conceituais de gestão e monitoramento de segurança inteligente. É uma iniciativa inovadora que fará o uso estratégico de infraestrutura e de serviços de informação e comunicação com planejamento e gestão urbana para dar respostas às necessidades sociais e econômicas das cidades e da população. A parceria, reunindo a administração dos três municípios, a comunidade israelita e a Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedu), começou em julho de 2016, quando assinamos um termo de cooperação com o Consulado Geral de Israel. Depois, fui a Tel- Aviv, a convite do governo israelense, conhecer tecnologias de ponta sobre cidades inteligentes. Fiz a viagem a convite do governo de Israel, sem nenhum custo para o governo do Paraná, porque este conhecimento do novo, do diferente, das soluções que já deram certo pode nos ajudar a transformar para melhor a nossa realidade. Todos precisamos fazer conexões com outras experiências, principalmente na gestão pública. Ainda mais neste século 21, tão acelerado e em que as barreiras e as diferenças são substituídas por aproximação e semelhanças. Se uma experiência social que envolve prática de esporte deu certo na Alemanha, por que não transformá-la em um programa nas nossas cidades? Foi assim que nasceu o projeto Meu Campinho, e foi assim também que realizamos o Hackathon, evento tecnológico voltado às soluções inovadoras na gestão pública e inspirado em uma experiência bem-sucedida que conheci na Coreia do Sul. Em Portugal, onde estive recentemente, os lixões a céu aberto foram eliminados e os principais rios foram recuperados e estão livres da poluição. Dois problemas que ainda persistem na nossa realidade e que podemos resolver com soluções semelhantes, adaptadas à nossa situação. Todo gestor público tem a obrigação de buscar esta atualização permanente. De fazer conexões com o bem-sucedido. A história da civilização é rica em casos de países e comunidades que se isolaram e que pagaram por esse isolamento impondo atraso e miséria às suas populações. Na Sedu, o nosso trabalho segue em outra direção. Vamos em busca de modelos que possam levar aos nossos 399 municípios o que há de melhor no mundo. Os paranaenses têm este direito. Ratinho Júnior é secretário de Estado do Desenvolvimento Urbano.