Ratinho Junior defende verba federal como contrapartida dos investimentos do Paraná no ensino superior

O deputado Ratinho Junior (PSD) se reuniu nesta terça-feira, 21, em Brasília, com a bancada paranaense na Câmara dos Deputados e defendeu a compensação com verbas federais dos investimentos do Paraná na manutenção das universidades públicas estaduais e do ensino superior público.
 
"Toda a estrutura do ensino público estadual é 100% bancada com recursos do Estado e demandaram investimentos de R$ 2,2 bilhões somente no ano passado, isso sem qualquer contrapartida por parte do governo federal", disse Ratinho Junior em ofício enviado ao coordenador da bancada, deputado Toninho Wandscheer (Pros).
 
O Paraná, aponta Ratinho Junior, tem uma rede de ensino superior, entre as melhores do país, de sete universidades públicas com oito mil professores, pesquisadores qualificados, nove mil agentes universitários e mais de 95 mil estudantes. "Essas universidades ofertam 343 cursos de graduação, 299 cursos de especialização, 180 mestrados e 75 doutorados. Esse sistema estadual de ensino está presente em 32 municípios e por meio do ensino a distância em mais 240 cidades", argumenta.
 
Ratinho Junior pede ao coordenador bancada que encaminhe ao Ministério da Educação, em nome dos deputados paranaenses, pedido de compensação dos investimentos do Paraná no ensino superior público. "Historicamente, o Paraná tem sido penalizado, por parte do governo federal, pela eficiência e investimento em ensino superior. Enquanto Minas Gerais tem 17 universidades federais, seguido por Rio de Janeiro (10) e Rio Grande do Sul (9), no Paraná estão apenas três instituições federais", disse.
 
"O que pedimos é o justo equilíbrio no modelo federativo, com a mínima compensação para que o estado do Paraná continue avançando na valorização do ensino superior", completa o deputado.

Paraná tem em investimentos, R$ 1,7 bilhão em obras urbanas, destaca Ratinho Junior

Entre março de 2013 e agosto de 2017, as obras urbanas no Paraná somaram R$ 1,7 bilhão de investimentos a atenderam 392 cidades do Estado. O balanço é do secretário Ratinho Junior sobre as 3,2 mil obras realizadas por sua pasta, a Secretaria de Desenvolvimento Urbano. “São obras que significam qualidade de vida para os paranaenses porque se traduzem em mais desenvolvimento e bem estar social às cidades atendidas”, disse Ratinho Junior.
Segundo Ratinho, os recursos foram destinados para a pavimentação e recape de ruas e avenidas, urbanização de praças e parques, construções de creches, escolas, terminais de transporte, quadras de esporte, hospitais, postos de saúde, implantação de aterros sanitários, execução de plano diretor, iluminação pública, calçamento e outras edificações. Parte deste dinheiro foi usado ainda na compra de maquinário e equipamentos para as prefeituras paranaenses.“O mais interessante é que além de atender as grandes cidades, os projetos e programas levados pela Sedu voltaram-se aos pequenos e médios municípios porque são os que mais precisam do apoio do Estado.
Desse conjunto de obras e ações, a maior parte atendeu os pequenos municípios, o que descentraliza as ações de governo e contribui para trazer o desenvolvimento econômico e social para todo o Estado”, completou Ratinho Junior.

Investimentos 

Para quantificar as 2.424 ações levadas pela Sedu, somente em pavimentação (asfalto e recape), os investimentos somaram, R$ 1,14 bilhão entre 2013 e 2017. Ao todo, foram pavimentados 17,4 bilhões de metros quadrados de vias – 2,1 mil de quilômetros de ruas e avenidas. “São investimentos consistentes que representam uma nova fase de desenvolvimento e dotam as cidades de uma melhor mobilidade urbana”, disse Ratinho Junior.
Neste período, a Sedu também aplicou mais de R$ 205 milhões em edificações por todo o Paraná. Os investimentos contemplaram a construção de barracões industriais, centros de referência, unidades de saúde, creches, ginásio de esportes, quadras esportivas – inseridas no projeto Meu Campinho -, terminais de transporte, centros da juventude, escolas, hospitais, reforma e ampliação de órgãos públicos, entre outras obras. No total, foram construídos, reformados ou ampliados 269 edifícios e o volume de edificações representa 282,6 milhões de metros quadrados executados.
“As obras dotam os municípios de uma infraestrutura mais adequada, o que atende desde o setor produtivo até os moradores dos bairros que passam a ter uma qualidade de vida melhor com o asfalto na frente da casa, creches e escolas para os filhos”, disse Ratinho Junior.

Aquisições 

No período entre 2013 e 2017, houve ainda, destaca Ratinho Junior, a compra de 97 terrenos para a construção de diferentes empreendimentos nos municípios. Foram investidos R$ 58, 2 milhões na compra de 2,5 milhões de metros quadrados. “Todas as ações e investimentos foram feitos com muito planejamento, austeridade e com foco nas necessidades e demandas das prefeituras”, disse Ratinho Junior. Nos destaques no período, os projetos Calçadas do Paraná que recebeu R$ 8,5 milhões em investimentos traduzidos na execução de 50 quilômetros de calçadas, a implantação de aterro sanitário (R$ 1,1 milhão), planos diretores (R$ 359,2 mil), seis parques (R$ 3,3 milhões) e 61 praças (R$ 27,8 milhões). No pacote de investimentos da Sedu, foram contabilizados a compra de 263 veículos ao custo de R$ 36, 2 milhões e 726 unidades de equipamentos rodoviários, totalizando investimento de R$ 196,9 milhões. A Sedu investiu ainda R$ 462,2 mil para a compra de 33 unidades de veículos agrícolas. A soma geral dos investimentos para a aquisição de veículos e equipamentos alcançou R$ 233, 6 milhões.
“Todas estas ações desenvolvidas pela Secretaria de Desenvolvimento Urbano são resultados de um diálogo permanente com os prefeitos e prefeitas paranaenses. Temos trabalhado afinados num projeto maior para o progresso do Paraná”, completou Ratinho Junior.

Artigo: Novas conexões para inovar no Paraná

Dias atrás, lançamos um projeto audacioso: em parceria com o Consulado Geral de Israel, iniciamos o Smart City em três cidades paranaenses: Cascavel, Paranaguá e Pato Branco começarão a implantar, ainda em um modelo piloto, uma série de projetos conceituais de gestão e monitoramento de segurança inteligente. É uma iniciativa inovadora que fará o uso estratégico de infraestrutura e de serviços de informação e comunicação com planejamento e gestão urbana para dar respostas às necessidades sociais e econômicas das cidades e da população.
Todos precisamos fazer conexões com outras experiências, principalmente na gestão pública. Ainda mais neste século 21, tão acelerado e em que as barreiras e as diferenças são substituídas por aproximação e semelhanças. Se uma experiência social que envolve prática de esporte deu certo na Alemanha, por que não transformá-la em um programa nas nossas cidades? Foi assim que nasceu o projeto Meu Campinho, e foi assim também que realizamos o Hackathon, evento tecnológico voltado às soluções inovadoras na gestão pública e inspirado em uma experiência bem-sucedida que conheci na Coreia do Sul. Em Portugal, onde estive recentemente, os lixões a céu aberto foram eliminados e os principais rios foram recuperados e estão livres da poluição. Dois problemas que ainda persistem na nossa realidade e que podemos resolver com soluções semelhantes, adaptadas à nossa situação.

Inovação

Todo gestor público tem a obrigação de buscar esta atualização permanente. De fazer conexões com o bem-sucedido. A história da civilização é rica em casos de países e comunidades que se isolaram e que pagaram por esse isolamento impondo atraso e miséria às suas populações. Na Sedu, o nosso trabalho segue em outra direção. Vamos em busca de modelos que possam levar aos nossos 399 municípios o que há de melhor no mundo. Os paranaenses têm este direito.
A parceria, reunindo a administração dos três municípios, a comunidade israelita e a Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedu), começou em julho de 2016, quando assinamos um termo de cooperação com o Consulado Geral de Israel. Depois, fui a Tel- Aviv, a convite do governo israelense, conhecer tecnologias de ponta sobre cidades inteligentes. Fiz a viagem a convite do governo de Israel, sem nenhum custo para o governo do Paraná, porque este conhecimento do novo, do diferente, das soluções que já deram certo pode nos ajudar a transformar para melhor a nossa realidade.
Leia o artigo também publicado na Gazeta do Povo: https://goo.gl/eQR3nb

Novas conexões para inovar no Paraná – Artigo Ratinho Junior

Dias atrás, lançamos um projeto audacioso: em parceria com o Consulado Geral de Israel, iniciamos o Smart City em três cidades paranaenses: Cascavel, Paranaguá e Pato Branco começarão a implantar, ainda em um modelo piloto, uma série de projetos conceituais de gestão e monitoramento de segurança inteligente. É uma iniciativa inovadora que fará o uso estratégico de infraestrutura e de serviços de informação e comunicação com planejamento e gestão urbana para dar respostas às necessidades sociais e econômicas das cidades e da população. A parceria, reunindo a administração dos três municípios, a comunidade israelita e a Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedu), começou em julho de 2016, quando assinamos um termo de cooperação com o Consulado Geral de Israel. Depois, fui a Tel- Aviv, a convite do governo israelense, conhecer tecnologias de ponta sobre cidades inteligentes. Fiz a viagem a convite do governo de Israel, sem nenhum custo para o governo do Paraná, porque este conhecimento do novo, do diferente, das soluções que já deram certo pode nos ajudar a transformar para melhor a nossa realidade. Todos precisamos fazer conexões com outras experiências, principalmente na gestão pública. Ainda mais neste século 21, tão acelerado e em que as barreiras e as diferenças são substituídas por aproximação e semelhanças. Se uma experiência social que envolve prática de esporte deu certo na Alemanha, por que não transformá-la em um programa nas nossas cidades? Foi assim que nasceu o projeto Meu Campinho, e foi assim também que realizamos o Hackathon, evento tecnológico voltado às soluções inovadoras na gestão pública e inspirado em uma experiência bem-sucedida que conheci na Coreia do Sul. Em Portugal, onde estive recentemente, os lixões a céu aberto foram eliminados e os principais rios foram recuperados e estão livres da poluição. Dois problemas que ainda persistem na nossa realidade e que podemos resolver com soluções semelhantes, adaptadas à nossa situação. Todo gestor público tem a obrigação de buscar esta atualização permanente. De fazer conexões com o bem-sucedido. A história da civilização é rica em casos de países e comunidades que se isolaram e que pagaram por esse isolamento impondo atraso e miséria às suas populações. Na Sedu, o nosso trabalho segue em outra direção. Vamos em busca de modelos que possam levar aos nossos 399 municípios o que há de melhor no mundo. Os paranaenses têm este direito. Ratinho Júnior é secretário de Estado do Desenvolvimento Urbano.